LONGEVIDADE E QUALIDADE DE VIDA DO IDOSO

  • Anysia Carla Lamão Pessanha
  • Pâmella do Carmo Silva
  • Hildeliza Lacerda Tinoco Boechat Cabral
Palavras-chave: Longevidade, Qualidade de vida, Idoso, Crescimento

Resumo

A ideia difundida acerca da relação entre a longevidade e a qualidade de vida do idoso era no sentido que quanto mais se possui longevidade, mais se perde a qualidade. Contudo, este entendimento popular está equivocado, uma vez que quanto melhor sua qualidade de vida, mais longevidade o idoso alcança e de forma saudável. Seguindo esta premissa, a população idosa brasileira tem crescido de forma assustadora nas últimas décadas, resultando na projeção de triplicação da população acima de 60 anos até a metade do século enquanto que nos países europeus a projeção é de duplicação. Em contrapartida, a taxa de natalidade brasileira tem reduzido de tal forma que se prevê a caracterização da população brasileira como idosa, por prevalecer o número de idosos. Todavia, o crescimento populacional desta categoria não implica necessariamente em qualidade de vida, ou seja, a longevidade nem sempre está acompanhada de boa qualidade de vida, como deveria. Desta senda, o objetivo do presente é analisar como é possível alcançar a longevidade cumulando-a com a qualidade de vida na atualidade, ou seja, de qual forma a pessoa pode envelhecer com qualidade de vida. O método adotado é a revisão de textos específicos e a pesquisa quantitativa acerca das informações necessárias. Portanto, o prolongamento da expectativa de vida no Brasil e a longevidade devem se dar em concordância com requisitos essências a uma existência digna e, como resultado, a qualidade de vida devida a todas as pessoas sem exceção.

Publicado
2016-12-16
Como Citar
CARLA LAMÃO PESSANHA, A.; DO CARMO SILVA, P.; LACERDA TINOCO BOECHAT CABRAL, H. LONGEVIDADE E QUALIDADE DE VIDA DO IDOSO. Múltiplos Acessos, v. 1, n. 1, 16 dez. 2016.
Seção
Artigos