ÀCIDO FULVICO: UM POTENCIAL TERAPEUTICO EM DOENÇAS CARDIOVASCULARES

  • DAVYSON GERAHDT DE SOUZA FACULDADE METROPOLITANA SÃO CARLOS - FAMESC
  • ALOISIO TINOCO DE SIQUEIRA FILHO FACULDADE METROPOLITANA SÃO CARLOS - FAMESC
  • FERNANDA CASTRO MANHAES FACULDADE METROPOLITANA SÃO CARLOS - FAMESC
  • ANTONIO NERES NORBERG FACULDADE METROPOLITANA SÃO CARLOS - FAMESC
  • HUMBERTO VILLACORTA JUNIOR UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE - UFF
Palavras-chave: ÁCIDO FULVICO, DOENÇAS INFLAMATÓRIAS CRÔNICAS, DOENÇAS CARDIOVASCULARES

Resumo

O objetivo deste artigo foi verificar sobre os efeitos do ácido fúlvico em doenças inflamatórias crônicas, com ênfase nas cardiovasculares, por meio de uma revisão de literatura. A população mundial está vulnerável face às doenças inflamatórias crônicas, como doenças cardiovasculares, diabetes e doenças gastrointestinais como a colite. Novos casos surgem com muita frequência, notadamente em atendimentos ambulatoriais. Concomitantemente novos medicamentos potenciais surgem como alterativa terapêutica, entre eles o ácido fúlvico (FvA), um produto natural (NHP) que tem sido estudado como um promissor caminho que pode atenuar inflação subjacente, com descrições na medicina tradicional de uma alternativa segura com condições e doses adequadas. Ácido fúlvido é classificado como uma subclasse de diversos compostos conhecidos como substâncias húmicas, que são subprodutos da degradação orgânica de microrganismos no solo. Pesquisas recentes relatam que o FvA pode estimular o estado oxidativo das células, melhorar a função gastrointestinal e modular o sistema imunológico. Contudo, ainda existem algumas restrições quanto ao uso do FvA, quanto aos benefícios à saúde humana e, por isso exige mais pesquisas científicas que possam, efetivamente, evidenciar efeitos benéficos à saúde humana. Apear de estudos mostrarem potenciais efeitos do ácido fúlvico em doenças inflamatórias crônicas, como diabetes, doenças cardiovasculares entre outras, ainda não há um consenso sobre seus efeitos benéficos à saúde humana. No entanto, achados refletem o efeito cardioprotetor do ácido fúlvico na cardiotoxicidade induzida pela doxorrubicina. Mesmo assim, inúmeras sugestões da necessidade de mais e maiores estudos sobre seus efeitos na saúde humana.

Palavras-chave: Ácido fúlvico. Doenças infamatórias crônicas. Doenças cardiovasculares.

Biografia do Autor

DAVYSON GERAHDT DE SOUZA, FACULDADE METROPOLITANA SÃO CARLOS - FAMESC

Médico Cardiologista, Hospital São José do Avaí, Itaperuna, Rio de Janeiro-RJ, Especialista em Cardiologia pela Universidade Federal Fluminense (UFF) e pela Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), Acompanhamento supervisionado do Serviço de Clínica Médica no Hospital São Vicente de Paulo/RJ (Março 2012 - Março 2014) com carga horária de 3.000 horas. Mestre em Medicina e Biomedicina, Santa Casa de Misericórdia de BH, Sócio ativo da Associação de Medicina Intensiva Brasileira (AMIB).

ALOISIO TINOCO DE SIQUEIRA FILHO, FACULDADE METROPOLITANA SÃO CARLOS - FAMESC

Médico, Especialista em Medicina Intensiva, Urgência, Infectologia, Reumatologia e docência, Pós-graduação em Administração de Serviços de Saúde, Saúde Pública e Administração Hospitalar - UNAERP, Especialista em Clínica Médica, pela Sociedade Brasileira de Clínica Médica, Especialista em Medicina de Urgência pela Sociedade Brasileira de Clínica Médica; Especialista em Medicina Intensiva pela Associação de Medicina Intensiva Brasileira, Professor de Reumatologia e Semiologia Prática - UNIG, Campos-Itaperuna,RJ, Integração Ensino-Trabalho-Cidadania: Prática Clínica V na Faculdade Metropolitana São Carlos, FAMESC, Bom Jesus do Itabapoana, RJ.

FERNANDA CASTRO MANHAES, FACULDADE METROPOLITANA SÃO CARLOS - FAMESC

Médica. Pós-doutorado em Cognição e Linguagem - UENF; Doutora em Ciências da Educação - UAA (Revalidação UFAL), Mestre em Cognição e Linguagem – UENF, Licenciatura em Pedagogia, Licenciatura em Educação Física. Diretora Acadêmica da Faculdade Metropolitana São Carlos - FAMESC, Bom Jesus do Itabapoana. Desenvolve pesquisas nas áreas de Envelhecimento Humano, Educação e Saúde. Editora chefe da Revista Científica Interdisciplinar - ISSN: 2358-8411. Avaliadora Institucional de Cursos de Graduação INEP/MEC.

ANTONIO NERES NORBERG, FACULDADE METROPOLITANA SÃO CARLOS - FAMESC

Médico e Médico Veterinário. Especializações: Saúde Pública - Escola Nacional de Saúde Pública, Medicina do Trabalho - Fundação Educacional Serra dos Órgãos, Parasitologia - Universidade Severino Sombra, Didática do Ensino Superior - Universidade Severino Sombra, Imunopatologia - UNIGRANRIO, Microbiologia - Universidade Severino Sombra, Análises Clínicas - Universidade Severino Sombra, Patologia Clínica - UFRRJ, Patologia Animal - UFRRJ, Patologia Clínica - Instituto de Biologia do Exército, Saúde da Família pela Faculdade Venda Nova do Imigrante, Gestão Escolar e Coordenação Pedagógica - Faculdade Venda Nova do Imigrante. Mestre em Patologia Clínica pela UFRRJ. Doutor em Parasitologia - UFRRJ. Professor titular de Microbiologia Medicina da FAMESC. Coordenador do curso de Medicina da FAMESC. Coordenador e docente dos cursos de mestrado e doutorado em Ciências Biológicas em Doenças Parasitárias da Universidad Autónoma de Asunción, Paraguay. Membro titular da Academia Brasileira de Medicina Militar.

HUMBERTO VILLACORTA JUNIOR, UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE - UFF

Médico. Mestrado em Ciências Cardiovasculares – UFF, Doutorado em Cardiologia pela USP, Fellow da European Society of Cardiology, MBA Executivo em Saúde – FGV, Preceptorship on Heart Failure no Brigham and Womens Hospital, Harvard Medical School, Boston, USA, Preceptorship Program on Heart Failure nos Hospitais San Carlos, Ramón y Cajal e Puerta de Hierro, Madri, Espanha. Membro-Fundador do Departamento de Insuficiência Cardíaca da Sociedade Brasileira de Cardiologia (DEIC). Foi Presidente do Departamento de Insuficiência Cardíaca da SOCERJ, Diretor Científico. Professor Associado da Disciplina de Cardiologia da UFF, na graduação e na pós-graduação, ensino, pesquisa e extensão. Chefe da Disciplina de Cardiologia. Orienta alunos de iniciação científica, mestrado e doutorado, em Insuficiência Cardíaca. Membro de Grupo Internacional de Pesquisadores MLB (Machine Learning and Biomarkers), com pesquisas em COVID-19, Embolia Pulmonar e IC aguda. Consultoria na área de Biomarcadores, Insuficiência Cardíaca e análise de dados em Medicina.

Publicado
2022-04-23
Como Citar
DE SOUZA, D.; SIQUEIRA FILHO, A.; MANHAES, F.; NORBERG, A.; VILLACORTA JUNIOR, H. ÀCIDO FULVICO: UM POTENCIAL TERAPEUTICO EM DOENÇAS CARDIOVASCULARES. Múltiplos Acessos, v. 7, n. 1, p. 58-66, 23 abr. 2022.
Seção
ARTIGOS

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##